Ir para o conteúdo
2016 Edição N°11

EDUCAÇÃO DO CAMPO E PEDAGOGIA DA ALTERNÂNCIA: POSSIBILIDADES EDUCATIVAS PARA O CAMPO DA AMAZÔNIA

Por Maria Sueli Corrêa dos Prazeres

RESUMO

O artigo é parte integrante da dissertação de Mestrado intitulada “Educação do Campo e Participação Social: Reflexões sobre a experiência da Casa Familiar Rural de Cametá/PA” defendida pela Universidade Federal do Pará/UFPA (2008). A pesquisa teve como objetivo identificar as contribuições da Pedagogia da Alternância para a vida, formação/escolarização e trabalho dos sujeitos do campo. O estudo se desenvolveu numa abordagem qualitativa de pesquisa, utilizando-se da entrevista semi-estruturada com jovens, pais, monitores, docentes, coordenação pedagógica, representantes dos movimentos sociais e membros da comunidade; e estudo documental analisando o referencial que dá suporte legal à escola. Os resultados permitem constatar que a experiência da Casa Familiar Rural de Cametá é significativa para os sujeitos do campo, uma vez que os conhecimentos são organizados a partir da realidade dos mesmos. Nesse sentido, foi possível identificar que a proposta assentada na Pedagogia da Alternância pode ser uma alternativa educacional viável para o campo cametaense. A partir das entrevistas identificamos o esforço para que ocorra a integração escola/família/comunidade na dinâmica educacional da CFR de Cametá, ainda que existam condicionantes que limitam e dificultam a participação dos sujeitos, entre os quais a condição socioeconômica das famílias e da comunidade, a perda de autonomia financeira da CFR de Cametá e a localização da escola distanciada do local de moradia das famílias. Apesar das dificuldades há uma significativa contribuição da CFR para os jovens do campo cametaense uma vez que a mesma é vista pêlos sujeitos como uma possibilidade de fortalecimento da educação do campo, do desenvolvimento das unidades produtivas com a introdução de técnicas ligadas à agricultura familiar e o fortalecimento da comunidade na luta pela legitimação dos direitos sociais. O artigo no primeiro momento analisa os recurtos pedagógicos da escola usados na Pedagogia da Alternância como recurso didático e pedagógico para mediar a relação escola-comunidade. Depois reflete acerca dos impasses se desafios da escola para garantir educação aos jovens do campo e finaliza refletindo acerca dos inúmeros condicionantes que impedem a participação dos sujeitos na escola.

Palavras-Chave: Educação do Campo. Pedagogia da Alternância. Participação Social.