Ir para o conteúdo
A Revista Eletrônica “MARÉ: memórias, imagens e saberes do campo” define-se como um periódico semestral de caráter científico, cultural e pedagógico voltado à divulgação das múltiplas experiências de produção dos sujeitos envolvidos com a realidade do campo e suas populações, especialmente as que vivem na Amazônia Paraense; propondo-se a ser um veículo de discussão, debate e divulgação de saberes e conhecimentos concernentes aos diversos aspectos de uma educação que busca a sua inspiração maior nas vozes que ecoam do Campo, dos diferentes sujeitos que nesse território protagonizam sua história no engajamento vigoroso por melhores e mais dignas condições de existência. 

Essa revista se constitui enquanto uma das ações de comunicação do Movimento Paraense Por Uma Educação do Campo, que reconhece o Fórum de Educação do Campo do Estado do Pará, assim como os Fori Regionais, como articuladores de mobilizações das organizações e movimentos sociais, das universidades e instituições de pesquisa e do poder público em suas várias instâncias relacionadas à educação do campo; encontrando-se, por essa razão, disponibilizada no Portal da Educação do Campo do Pará (http://www.educampoparaense.org/).

O periódico objetiva a divulgação de conhecimentos a respeito da educação, do ensino e de experiências socioculturais do campo na Amazônia, no Brasil e no mundo. Inclui-se entre os conhecimentos que deverão ser veiculados: resultados de pesquisas, ensaios, resenhas de livros, relato de experiências profissionais de educadores, memória de lideranças de movimentos sociais ou de pessoas jovens e adultas que possam revelar informações importantes sobre a história e a cultura das populações do campo; assim como, relato de experiências didático-pedagógicas e educativas e produções artístico-culturais, como: poesias, músicas e imagens, produzidas no Brasil ou no exterior. 

A revista pretende ainda se tornar um canal privilegiado de comunicação das produções dos diversos grupos de pesquisa na Amazônia, no Brasil e no mundo que hoje envidam esforços na busca de entendimento e de intervenção na realidade educacional, econômica e sociocultural do campo, tendo como fio condutor a interculturalidade e a afirmação das mais diversificadas formas de expressão existencial da vida do Campo, permitindo a publicação de experiências multiculturais e interdisciplinares nas diversas sessões que compõem o periódico.